Neste fim de semana, houve jogo grande a contar para a quarta jornada do campeonato: Sporting CP defrontou FC Porto em Alvalade, num jogo que acabou com um empate a duas bolas entre as duas equipas.

Apesar da discrepância de valores entre o plantel do Sporting CP e do FC Porto, o jogo foi bem disputado, mas, mais uma vez, os leões não conseguiram vencer o seu rival direto – o que está a começar a tornar-se uma tendência. O reconhecimento desta tendência fez-me ter vontade de observar estatísticas dos resultados do Sporting CP contra FC Porto e SL Benfica. 

Apresento, assim, os seguintes dados, nos quais não incluí o jogo que ocorreu no passado sábado: 

– O Sporting não vence o Porto no tempo regulamentar desde abril de 2018; 

Anúncio Publicitário

– Nos últimos 15 jogos contra o FC Porto, o clube de Alvalade apenas venceu por quatro vezes no tempo regulamentar; 

– Nos últimos 15 jogos com o Benfica, o Sporting CP só venceu três no tempo regulamentar; 

– Nos últimos 30 jogos grandes, os leões só venceram por sete vezes em tempo regulamentar. 

– Se juntarmos as vitórias no prolongamento e as decisões por grandes penalidades acrescem quatro contra o FC Porto e uma contra o SL Benfica. 

Ora, analisando estes dados, percebemos que é pouco. Pior fica quando percebemos que o Braga, nos últimos 15 jogos contra dragões e águias, ganhou os mesmos quatro jogos contra o FC Porto e um contra o SL Benfica. Observando deste prisma é preocupante…

Nos últimos anos, o Sporting CP tem sentido muita dificuldade em vencer aos seus rivais, SL Benfica e FC Porto.          Fonte: Carlos Silva / Bola na Rede

O problema é que não me recordo de um jogo nos últimos anos em que o Sporting CP tenha sido dominador contra os seus rivais diretos e, assim, fica difícil ganhar. Tem faltado ambição e qualidade na altura de defrontar uma equipa de nível igual ou superior ao nosso. No passado fim de semana pudemos ver, pela primeira vez, Rúben Amorim a comandar o Sporting CP contra um dos grandes com uma equipa montada pelo mesmo e não faltou vontade de ganhar, sendo que, em certas alturas, o Sporting CP até dominou o jogo (mostrando que tem equipa para competir com o FC Porto). Creio que faltou jogar com um avançado fixo e quero acreditar que Rúben Amorim percebeu isso.  

Ganhar aos rivais diretos é muito importante porque, nesses jogos, estão em disputa seis pontos: três que uma equipa pode ganhar e três que pode retirar ao rivalEstes jogos podem ajudar a criar diferenças pontuais entre as equipas e, no caso do clube de Alvalade, pode significar estar mais perto de atingir a tão desejada Liga dos Campeões. Mesmo depois do empate, o Sporting CP tem feito um bom início de época (apesar djogo em atraso) e tem surpreendido mais pelos resultados do que pelas exibições. Enquanto os resultados aparecerem, as exibições não são o principal foco – o problema será se nenhum dos dois aparecer. Portanto, por enquanto, Rúben Amorim tem tido um trabalho positivo na liga e conseguiu jogar olhos nos olhos com um clube que tem um plantel muito mais valioso que o do Sporting CP. dignidade do Sporting CP contra os seus rivais tem de ser restaurada: será que Rúben Amorim conseguirá tal proeza? 

Artigo revisto por Joana Mendes