sporting cp cabeçalho 2Na ditadura dos potes há que ser consciente. Não é para todos o estatuto de não ter preferências perante todos os cenários, dizendo ao Futuro que traga o que quiser, desprezando todos os rituais da sorte nos sorteios. Foi assim no ano passado, tal como foi este ano.

Num grupo de gigantes, o Sporting de Lisboa – como toda a Europa o conhece -, é de novo o embaixador da dignidade futebolística de Portugal. É por prestações como esta que, contrariando as previsões dos ilustres, o Grupo D da Liga Milionária ainda não nos disse tudo. Pensemos na Liga Europa, mas lutemos pelo resto. No emparelhamento de combates, centrámos focos na equipa do Olympiacos por sabermos que era por aqui o caminho para continuar na Europa. E o jogo da Grécia explicou bem o que significa este grupo. Um resultado enganador, que levou Jorge Jesus a dizer no final da partida que gostava de ver o Barcelona a marcar três golos no Olimpo. Não marcou. Nem no Olimpo, nem em Alvalade, onde só conseguiu marcar da forma que raramente marca. São jogos como este que colocam uma equipa no Mundo – o local onde o Sporting nunca pode deixar de estar. Mas para garantir essa presença no estrelato mundial dos grandes Clubes é importante continuar a querer conquistar a Europa. Como nas Ditaduras dos potes, este também é tempo de consciência. E de análise.

Não ter autonomia de hipótese é mau, mas não elimina a esperança. Voltar a vencer ao Olympiacos é preponderante, não só por poder decidir a passagem automática para a Liga Europa, mas também porque pode adiar as decisões definitivas para a última jornada. A conjugação ideal seria, então, a derrota da Juventus frente ao Barcelona, sendo um empate entre estes um bem menor, mas útil. Chegaria a vez de o Sporting, o de Lisboa e de Portugal, ir decidir a sua passagem aos Oitavos-de-final da Liga dos Campeões em Camp Nou. E tudo isto tem o seu lado de ironia romântica. Podemos até resumir o que resta desta fase de grupos: não depende só do Sporting permanecer na competição, mas depende só do Sporting permanecer com a esperança de continuar na competição. Caso não suceda, o cenário não se complica e continua explicável.

O Sporting continua a digladiar-se com os melhores da Europa Fonte: Sporting CP
O Sporting continua a bater-se de igual para igual com os melhores da Europa
Fonte: Sporting CP

Voltando à previsão dos resultados, uma nova vitória contra o Olympiacos garante a qualificação para a Liga Europa. Se este for o destino do Sporting, há questões logísticas que contam. Primeiro, porque a probabilidade de jogar mais longe aumenta, dado o maior número de equipas do outro extremo da Europa. Depois, porque jogar às quintas-feiras, e já tivemos exemplos disso, interfere com maior intensidade na calendarização da época e na gestão física do plantel. Embora saibamos que na Liga Europa os índices de ambição racional podem e devem aumentar, é também sabido que nada pode substituir a pretensão de estar onde os melhores estão.

Mas o importante é ter consciência, porque só uma equipa que pensa assim pode jogar como o Sporting joga. Ter consciência: mas nunca esquecer a frase que o nosso Fundador um dia disse, deixando o repto de tornar o Sporting grande, tão grande como os maiores da Europa.

Anúncio Publicitário

Foto de Capa: Sporting CP