escolhi

Recebias prendas, estavas com a tua família, diante do calor da tua lareira? Planeavas a tua passagem de ano? O mister Marco Silva estava no Estoril. No dia 26 de Dezembro de 2013, exactamente há um ano, Marco Silva ocupava o 4.º lugar do campeonato – que viria a consolidar, e que foi o melhor da história do clube – e preparava-se então para receber o Sporting no seu estádio. Nesse jogo, viria a conseguir o empate a zero na mesma jornada em que o Benfica bateu o Porto e arrancou para a conquista do título. O Sporting? O Sporting, precisamente há um ano, estava em 3.º lugar.

Há um ano, tu, sportinguista, já não ansiavas pelo sorteio da Taça de Portugal. Havias sido eliminado no segundo jogo em que participaste nessa competição. Daí a pouco tempo virias a ser eliminado também da Taça da Liga. Tanto numa prova como noutra, o Sporting ficou pelo caminho devido aos seus rivais Benfica e Porto, respectivamente. Já agora, um dado sobre clássicos: em seis jogos com os rivais, o Sporting só venceu um (1-0 ao Porto, em Alvalade, a contar para o campeonato). Este ano, em metade das oportunidades, o mesmo número de vitórias alcançadas. E mais! Zero derrotas.

Mas voltemos à tua rotina, amigo sportinguista. O ano passado os dias de semana eram enfadonhos e marcados pelo tédio, não eram? A bola rolava sempre longe de Alvalade e passavas uma longa semana à espera do jogo de Sábado ou de Domingo para o campeonato. Assim o eram também para os jogadores. Não te deixes enganar pela história do cansaço! Quem tem as condições e equipa técnica que eles têm a seu dispor não sofre de cansaço por fazer mais um jogo por semana. A verdadeira diferença está no tempo de preparação existente. No tempo que o treinador tem para analisar o seu rival interno, ver qual a melhor forma de atacar as suas debilidades e de se defender dos seus pontos fortes. Depois, comunicar tudo isso à equipa, fazê-la entender que o extremo contrário deve ser convidado sempre a jogar por fora porque, quando joga por dentro, é uma carga de trabalhos. Trabalhar isso nos treinos. E, simultaneamente, aprimorar o jogo da sua própria equipa e corrigir o que vem sendo feito menos bem. Aí é que está a (enorme) diferença entre ter um jogo por semana ou dois! É que Marco Silva tem três dias para preparar o seu jogo do campeonato e Leonardo Jardim tinha seis. Explica tudo? Claro que não. Mas ajuda a compreender…

Hoje, dia 26 de Dezembro de 2014, um Natal depois, o Sporting está em 5.º a dez mentirosos pontos do Benfica, 1.º classificado. Mentirosos por todas as razões conhecidas para além de que a diferença exibicional das equipas não pode ser ilustrada por tal diferença pontual. E sim, no fim são os resultados que contam, no fim as vitórias morais são inúteis e no fim podem ser defendidas muitas outras ideias clichés sobre o que é o futebol e quais os verdadeiros fins a atingir. O trabalho do treinador deve ser avaliado pelo seu método de trabalho mais do que pelos seus resultados. O futebol é complexo e o resultado final depende de demasiadas variáveis que, em boa parte, vão além do trabalho do seu treinador. Uma das obrigatórias qualidades do presidente é ter esta noção de quando os resultados estão, ou não, a ser um espelho da qualidade do seu treinador e agir em conformidade com a conclusão a que chegou.

Anúncio Publicitário

Um Natal depois, o Sporting está bem colocado para a conquista da Taça de Portugal, que significaria o primeiro título desde 2008.
Um Natal depois, o Sporting voltou a ser respeitado Europa fora – depois de tantos anos esquecido – pela qualidade apresentada e pela eliminação injusta frente a dois adversários de muito maior valia individual e com muito maior orçamento.
Um Natal depois, o Sporting continua a ter todas as condições para alcançar o lugar que atingiu na época passada.

Entre um Natal e o outro, o mister Marco Silva foi a Alvalade bater o Sporting com o seu Estoril e, posteriormente, assumiu ele próprio o comando da equipa verde e branca. Ganhou várias vezes, perdeu em Guimarães, empatou mais do que as devidas. Hoje, é o único treinador em Portugal nas quatro frentes e é o responsável máximo pela prática de um futebol ofensivo, de qualidade, e condizente com o estatuto que se pretende próximo do Sporting. Perfeito? Claro que não. Nem ninguém o esperaria com quatro meses de trabalho.

Hoje, dia 26 de Dezembro de 2014, um Natal depois, o que fazes tu, sportinguista? Já abriste as prendas e já estiveste com a tua família, diante do calor da tua lareira? Já planeias a passagem de ano? O mister Marco Silva, ao que parece, já não está no Sporting. E eu acho mal.

Comentários