Anterior1 de 2

Depois da parte 1 e da parte 2 da análise tática deste SC Braga de Carlos Carvalhal, vem a última parte deste “Força da Tática”. Venham daí.

Dada uma breve análise aos quatro momentos do jogo feita nas outras publicações, vou resumir agora as principais ideias implementadas por Carlos Carvalhal nesta primeira metade de época:

OFENSIVAS

– Futebol apoiado com foco no jogo entre setores e exploração da profundidade nas alas (Galeno e Esgaio).

Anúncio Publicitário

– Centrais próximos um do outro, assim como os médios.

– Lateral direito faz de extremo e lateral esquerdo encaixa na linha dos médios.

– Exploração dos três corredores.

– Participação dos laterais em zonas de criação (+ Esgaio que Sequeira).

– Ataque rápido quando chega a zonas de criação.

– Exploração das fragilidades defensivas do adversário em questão.

 

DEFENSIVAS

– Bloco médio alto ou alto a defender.

– Obriga o adversário a construir para o corredor menos forte.

– Forte nas segundas bolas.

– Boa reação à perda.

– Boa recuperação defensiva pós-perda.

– Agressividade nos duelos.

– Muito uso das “faltas inteligentes”.

– Adaptação às características ofensivas do adversário em questão.

 

PRINCIPAIS DEBILIDADES

– Linha defensiva passiva.

– Dificuldades em orientar a linha defensiva em posições mais avançadas (algum espaço entre defesas).

– Dificuldade no controlo da profundidade (Matheus importante neste aspeto).

– Dificuldades defensivas dos extremos.

– Muitas falhas individuais defensivas.

– Falta de eficácia na definição (Galeno e Ricardo Horta principalmente).

Anterior1 de 2

DEIXE UM COMENTÁRIO

Comente!
Por favor introduz o teu nome