Cabeçalho modalidades

O Rali dos Açores vai hoje para a estrada com a já habitual City Stage, que reune milhares de pessoas na baixa de Ponta Delgada.

A prova açoriana conta novamente para o ERC (Europeu de Ralis) CNR (Campeonato Nacional de Ralis) e CRA (Campeonato de Ralis dos Açores) e reúne um bom grupo de pilotos quer para lutar pela vitória geral quer na categoria júnior do europeu.

A lutar pela geral vou ter de colocar quatro pilotos no topo. Kajetan Kajetanowicz é o principal candidato à vitória. Vencedor do ERC em 2015 e líder em 2016 o polaco tem de ser o principal candidato à vitória, até porque o ano passado foi segundo e o vencedor de 2015 – Craig Breen – não vai estar presente. No segundo lugar do pódio reside a minha maior dúvida, mas vou arriscar no nome de Ricardo Moura. Estando o açoriano fora do CNR não vai ter de ter de pensar nas contas para este campeonato podendo arriscar um pouco mais. Depois de dois terceiros lugares nesta prova tenho a certeza que Moura vai tentar dar um passo em frente e atingir um lugar mais alto no pódio.

Depois tenho de apontar mais dois nomes para lutarem pela vitória, Alexey Lukyanuk e Ralfs Sirmacis. O primeiro tem uma grande diferença em relação aos outros três nomes porque faz a sua estreia nos Açores, apesar disto é um piloto muito rápido e consistente pelo que se antevê que se meta na luta pela vitória. Já Sirmacis vem de uma vitória na prova grega do ERC, ou seja, com a confiança em alta mas não acredito que repita a sua prestação nos Açores. Apesar disto tenho de o incluir obrigatoriamente na luta pela vitória.

Ingram já demonstrou um andamento muito rápido nos Açores Fonte: Chris Ingram
Ingram já demonstrou um andamento muito rápido nos Açores
Fonte: Chris Ingram
Anúncio Publicitário

Na categoria junior quero acreditar que a luta será entre Chris Ingram e Diogo Gago mas que se deve alargar a pelo menos mais dois pilotos, Łukasz Pieniążek e Marijan Griebel, nesta que é uma competição muito exigente e muito interessante. Nesta competição temos ainda mais um português na luta, Marco Cid – campeão nacional de duas rodas motorizes de 2015 – mas que não acredito que se consiga meter nesta luta.

No que toca ao CNR estão presentes todos os pilotos tirando Miguel Campos. Se tirarmos Ricardo Moura destas contas – pontua mas não está a fazer a competição – o grande destaque tem de ir para José Pedro Fontes, mas se o Ford Fiesta R5 de João Barros estiver bem acredito que será ele o vencedor da competição nacional. Pedro Meireles deve ser o terceiro nesta luta. Será muito bom ver Fernando Peres de volta aos Açores sendo ele o recordista de vitórias na prova, a última das quais em 2007, mesmo sabendo que não vai conseguir lutar pelo topo.

Este vai ser provavelmente a melhor edição do Rali dos Açores, muitos pilotos a poderem dar espetáculo na estrada e com qualidade, mesmo não tendo sido referidos neste artigo. Quem tiver o mesmo problema que eu, ou seja, não poder ir a São Miguel ver a prova pode acompanhar na RTP Açores e nas várias rádio locais.

Foto de capa: Delta Rally

Comentários

Artigo anteriorRevista do Euro’2016: Turquia
Próximo artigoCarta aberta a: Paulo Fonseca
O Rodrigo adora desporto desde que se lembra de ser gente. Do Futebol às modalidades ditas amadoras são poucos os desportos de que não gosta. Ele escreve principalmente sobre modalidades, por considerar que merecem ter mais voz. Os Jogos Olímpicos, por ele, eram todos os anos.                                                                                                                                                 O Rodrigo escreve ao abrigo do novo Acordo Ortográfico.