Anterior1 de 3Próximo

Cabeçalho modalidadesNo decorrer da passada semana foram disputados na Dinamarca os Campeonatos Europeus de Natação de Pista Curta. Depois de, em 2013, a Dinamarca ter organizado esta competição na cidade de Herning, voltou a ser o país organizador nesta que foi a 19ª edição destes campeonatos, sendo os mesmos disputados em Copenhaga, na Royal Arena.

Nestes campeonatos europeus, como tem sido uma tendência, foram batidos diversos recordes, pessoais, nacionais e, inclusivamente recordes europeus e mundiais.

Destaque para três recordes mundiais, dois deles alcançados pela selecção holandesa, onde Ranomi Kromowidjojo, Femke Heemskerk, Tamara van Vliet e Valerie van Roon conquistaram o ouro nos 4 x 50 m Livres Femininos e as mesmas Ranomi Kromowidjojo e Femke Heemskerk se juntaram a Nyls Korstanje e Kyle Stolk para bater o recorde do mundo nos 4 x 50 m Mistos e dar mais uma medalha de ouro ao seu país.

Foi este o 'palco' da competição Fonte: Federação Portuguesa de Natação
Foi este o ‘palco’ da competição
Fonte: Federação Portuguesa de Natação

Os Russos Kliment Kolesnikov, Vladimir Morozov, Sergey Fesikov e Mikhail Vekovishchev, levaram para casa uma das 9 medalhas de ouro conquistadas pela sua selecção ao bater o recorde dos 4 x 50 m Livres Masculinos.

A selecção Russa foi mesmo a grande dominadora desta competição, vencendo um total de 18 medalhas (9 de ouro, 5 de prata e 4 de bronze), sendo a Itália com 17 (5 de ouro, 7 de prata e 5 de bronze) a que mais se conseguiu aproximar deste registo. A fechar o pódio ficou a selecção da Hungria com um total de 13 medalhas (8 ouros, 3 pratas e 2 bronze).

Holanda (11 medalhas) e França (8) completam o Top-5 de países com mais medalhas nesta competição.

Alemanha, Suécia e a organizadora Dinamarca ficaram próximas destes registos, conquistando cada uma delas 7 medalhas.

Anterior1 de 3Próximo

Comentários

Artigo anteriorDefender para vencer
Próximo artigoNeil Robertson volta aos troféus 18 meses depois
Presença assídua nos jogos de futebol do clube da sua terra (Lourinhanense) e do clube do seu coração (Benfica), o Diogo é um fã de desporto em geral. Defensor de discussões construtivas em que o resultado final seja todos os envolvidos aumentarem os seus conhecimentos sobre o tema abordado, sem que existam ofensas ou discriminações por qualquer tipo de opinião.                                                                                                                                                 O Diogo não escreve ao abrigo do novo Acordo Ortográfico.