Anterior1 de 4

A CRÓNICA: UM É POUCO, DOIS É BOM E TRÊS NÃO CHEGAM PARA SELBY. AÍ VÃO QUATRO!

Mark Selby é o Campeão do Mundo de Snooker! O inglês de 37 anos somou o quarto título mundial da carreira, o quarto nos últimos… oito anos (Stuart Bingham, Mark Williams, Judd Trump e Ronnie O’Sullivan arrecadaram os restantes). A última década pertence-lhe e, com quatro Mundiais e outros 16 títulos de ranking, Mark “The Shark” Selby assume-se como o maior campeão da sua geração e o segundo jogador mais titulado do século XXI, no que a Campeonatos do Mundo respeita – Ronnie O´Sullivan venceu seis.

Por seu turno, Shaun Murphy soma a terceira final perdida (2009, 2015 e 2021) e assume-se como o terceiro jogador com mais finais desperdiçadas na Era Crucible: Jimmy White perdeu seis e John Higgins foi derrotado quatro vezes. Com uma vitória (2005) em quatro finais (25%), o “Magician” torna-se o campeão do Mundo com a pior percentagem de aproveitamento de finais do Crucible.

O resultado final fixou-se num 18-15. Curiosamente, a última final que Selby havia disputado (e vencido) tinha terminado com esse resultado (2017, vs John Higgins) e a última em que Murphy havia estado inserido – tendo perdido – havia tido o mesmo resultado (então, em 2015, o 18-15 sorriu a Stuart Bingham).

Anúncio Publicitário

Posto isto, Selby soma quatro finais conquistadas, tendo apenas perdido a primeira em que participou; Murphy, em sentido inverso, soma a terceira final perdida, tendo apenas vencido a sua primeira. Disputado em Sheffield, o troféu voltou a ficar em Inglaterra – o que acontece há três anos consecutivos e que sucedeu por nove vezes nos últimos dez Campeonatos do Mundo (apenas Mark Williams o levou para o País de Gales, em 2018).

No próximo ano (já há bilhetes à venda, diga-se de passagem), não poderemos ter um campeão que quebre a Maldição do Crucible, mas podemos ter campeão inédito. Será inglês esse próximo campeão do Mundo? Descobriremos; para já, a festa é de Mark Selby, da sua esposa Vikki Layton, da sua filha Sofia Selby e do seu treinador Chris Henry, que viu um dos seus outros pupilos sair derrotado desta final.

Ah, claro: e é também das 980 pessoas que esgotaram o Crucible Theatre para ver o “Jester from Leicester” erguer o troféu pela quarta vez. À sua frente, Selby já só vê O´Sullivan e Steve Davis (seis Mundiais cada) e Stephen Hendry (o escocês somou sete). Há quem goste, há quem não goste; mas Mark Selby tem o Mundo a seus pés. E com direito: conquistou-o!

Anterior1 de 4

DEIXE UM COMENTÁRIO

Comente!
Por favor introduz o teu nome