Cabeçalho modalidadesChegados ao final da primeira semana do Australian Open importa analisar aquilo que tem sido a vertente feminina do torneio até ao momento, sobretudo no que concerne às principais surpresas e desilusões, para que seja possível perspetivar o seu futuro. Certo é que, por enquanto, a maioria das principais candidatas à vitória continua em prova e, a cada ronda, o seu favoritismo vai crescendo na luta por um lugar na final.

Na lista das desilusões surgem, à cabeça, três nomes: Agnieska Radwanska, Simona Halep e Dominika Cibulkova. Halep, número 4 do ranking WTA, foi a primeira a cair, logo na 1ª ronda, diante de Shelby Rogers. A romena adota cada vez mais uma postura defensiva em court, mais reativa do que ativa, e esse fator a somar às evidentes limitações físicas apresentadas levaram a que esta voltasse, pelo segundo ano consecutivo, a não ser capaz de avançar para a 2ª ronda da competição. Já Cibulkova, número 6 do mundo, após terminar 2016 em grande forma (vencendo mesmo as WTA Finals), acabou por sair derrotada na 3ª ronda frente a Ekaterina Makarova que, pese embora lesionada no cotovelo, acabou por levar de vencida a sempre aguerrida tenista eslovaca. Finalista do Australian Open em 2014, Cibulkova continua a sentir algumas dificuldades nos seus jogos de serviço, muito devido à sua reduzida estatura.

Apesar de tudo, a principal desilusão do torneio feminino até ao momento não poderá deixar de ser a eliminação em apenas uma hora de Aga Radwanska, número 3 do ranking WTA e, provavelmente, a tenista tecnicamente mais evoluída do circuito, logo na 2ª ronda da competição. A tenista polaca baseia o seu ténis na colocação da bola e na diversidade de pancadas mas continua a sentir dificuldades frente a adversários que, como é o caso de Mirjana Lucic-Baroni, batem forte na bola.

Fonte: Australian Open
Fonte: Australian Open

Do lado das surpresas o destaque vai por inteira para a norte-americana Jennifer Brady, número 116 do ranking WTA e, sobretudo, para a alemã Mona Barthel, que atualmente ocupa o lugar 181 do mesmo ranking. Sendo ambas oriundas do qualifying, no percurso da primeira destaca-se a eliminação de Elena Vesnina, enquanto no percurso da segunda toma lugar de destaque a eliminação da campeã olímpica Monica Puig. Porém, se o futuro de Barthel se avizinha difícil no encontro da 4ª ronda frente a Venus Williams, Brady terá pela frente Lucic-Baroni e, caso jogue o seu melhor ténis, poderá mesmo aspirar a uma inédita e surpreendente presença nos quartos de final de um torneio do Grand Slam. Ainda do lado das desilusões merece nota de destaque a eliminação na 3ª ronda da ucraniana Elina Svitolina, tida por alguns como uma potencial dark horse da competição, frente à russa Anastasia Pavlyuchenkova.