O Sporting CP venceu o FC Porto nas grandes penalidades e voltou a sagrar-se Campeão de Inverno. Os azuis e brancos chegaram primeiro à vantagem, por Fernando, mas viram os leões conquistarem a igualdade, já para lá dos 90, através da conversão de uma grande penalidade. No desempate da marca dos onze metros foi mais forte a formação de Keizer, que conquistou assim o primeiro troféu da época.

Numa final inédita da Taça da Liga, FC Porto e Sporting CP mediram forças pela conquista de um título que, para os azuis e brancos, seria o primeiro mas, para os leões, seria uma repetição do conseguido na época passada. Das meias-finais até este último duelo as duas formações protagonizaram dois embates polémicos, tendo ultrapassado SL Benfica e SC Braga, respetivamente.

Sérgio Conceição optou por manter a receita vencedora a que recorreu frente aos encarnados, não fazendo qualquer alteração no onze inicial. Danilo voltou assim a ficar de fora e André Pereira voltou a assumir a titularidade.

Anúncio Publicitário

Já Keizer mexeu na equipa, tanto no centro da defesa como no ataque. André Pinto rendeu Mathieu ao lado de Coates, depois de o francês ter saído lesionado na quarta-feira, e Bas Dost voltou à frente do ataque, para o lugar de Phellype.

Numa primeira parte com muitas faltas e sem golos, as melhores oportunidades chegaram perto do intervalo. Logo aos dois minutos o FC Porto conquistou canto, mas sem conseguir criar perigo para a baliza de Renan e, do lado dos leões, a primeira ameaça chegou por Nani, que após passe de Bas Dost atirou por cima, sem incomodar Vaná.

O guarda-redes dos dragões acabou por estar em destaque à passagem do quarto de hora, embora que pela negativa, depois de falhar na reposição e atirar contra Raphinha, que não conseguiu, ainda assim, concretizar o chapéu.

Num primeiro momento de maior perigo, ao minuto 38, foi André Pereira a atirar por cima, depois de Corona ultrapassar Acuña e conseguir tirar o cruzamento na direita do ataque. Já do lado do Sporting CP o primeiro aviso sério ocorreu depois dos 45, na sequência de um livre batido por Bruno Fernandes. O lance nasceu de um erro de Pepe, que colocou a bola à disposição do adversário e Felipe, para evitar males maiores, fez falta, viu o amarelo e cedeu pontapé livre. O internacional português dos leões, na cobrança, atirou ligeiramente ao lado.

O Sporting acabou por conseguir ser mais forte nas grandes penalidades
Fonte: Bola na Rede

O segundo tempo iniciou-se com a mesma tónica com o que o primeiro tinha terminado, mas trouxe cedo uma contrariedade para Keizer. Ao minuto 53 o treinador foi obrigado a realizar a segunda substituição, depois de ter trocado Acuña por Jefferson no intervalo. André Pinto saiu lesionado e Petrovic, suplente utilizado nos últimos encontros, foi chamado a jogo.

Instalado no meio campo adversário, foi o FC Porto a criar a primeira situação de perigo após o intervalo, ao minuto 60. Na sequência do pontapé de canto batido por Telles na esquerda, Felipe apareceu nas alturas para o cabeceamento, mas Renan defendeu e evitou o primeiro da noite.

Numa segunda parte de sentido único, os azuis e brancos iam dominando e controlando o jogo, mas sem conseguir chegar com perigo à área de Renan. Até ao minuto 79. Herrera rematou, de fora de área e Fernando aproveitou a sobra do guarda-redes leonino, que não agarrou a bola. O reforço de inverno apareceu no meio da confusão para, dentro da pequena área, abrir o marcador em Braga e colocar o FC Porto na frente da final.

O Sporting CP reagiu ao golo apenas ao minuto 88, com Vaná a ser obrigado a aplicar-se para assegurar a vantagem da sua equipa. Jefferson apareceu perto da linha final e, num cruzamento/remate, esteve perto de repor a igualdade. Já para lá dos 90 João Pinheiro recorreu ao VAR para analisar o lance entre Óliver e Diaby e deu grande penalidade para a formação de Alvalade. Na conversão, Bas Dost não desperdiçou, igualou o marcador e fez antever uma decisão por penaltis.

Com o um igual a prevalecer, foi da marca dos onze metros que se apurou o novo Campeão de Inverno. Foi o Sporting o primeiro a falhar, por Coates, mas Militão, logo a seguir, atirou ao lado e não permitiu que os dragões se adiantassem. Hernâni permitiu depois a defesa de Renan e Felipe, no último penálti cobrado, atirou à barra. Festejou o Sporting, que voltou a ser mais forte do desempate por grandes penalidades.

ONZES E SUBSTITUIÇÕES

 FC Porto: Vaná, Militão, Felipe, Pepe, Alex Telles, Corona (Danilo 82’), Herrera, Óliver (Hernâni, 90+3’), Brahimi, André Pereira (Fernando, 64’) e Marega

Sporting CP: Renan Ribeiro, Ristovski, André Pinto (Petrovic, 53’), Coates, Acuña (Jefferson, 45’), Raphinha, Gudelj (Diaby, 82’), Wendel, Bruno Fernandes, Nani e Bas Dost