1.

Fonte: FPF

Doze anos de luta pela consagração europeia: Tem mesmo de ser o número um desta lista. Neste período, a armada lusa alcançou duas finais (2004 e 2016) e uma meia-final em 2012, o que cimentou a posição de Portugal como uma potência nas competições europeias de seleções. 2004 foi o ano da tragédia grega na Luz, em que Luís Figo, Rui Costa, Pauleta e companhia desperdiçaram uma oportunidade de ouro para conquistar o Europeu, para profunda tristeza de um povo que nesses 12 anos tremia sempre que ouvia falar no nome Charisteas.

Se em 2012 a lotaria das grandes penalidades impediu o regresso a uma final, 2016 terminaria com um rumo diferente: em França e frente à Seleção da casa que era um dos adversários que costumava levar sempre a melhor, o pontapé de Éder aos 109 minutos ajudou a mudar a história do “triste fado português” e Portugal finalmente conquista a Taça Henri Delaunay, nome pelo qual é conhecido o troféu em disputa nos Europeus.

(Nota: Em 2006, Portugal alcançou a meia-final do Mundial alemão, mas o foco principal é o percurso da seleção nos campeonatos da Europa)

 

Anúncio Publicitário

Artigo revisto por Joana Mendes