GD Estoril 2013/2014

Marco Silva levou o GD Estoril ao quarto lugar, depois do quinto posto no ano anterior
Fonte: UEFA

Os canarinhos podem ser considerados uma das equipas sensação depois de uma excelente temporada no primeiro ano depois de terem subido e em 2013/2014 conseguiram superar o registo. Sob o comando de Marco Silva, que era o técnico principal desde há dois anos, o clube estreou-se na Liga Europa fruto da grande campanha interna. A estreia correu da melhor maneira com a presença na fase de grupos assegurada, depois de quatro jogos e dois adversários afastados.

Além disso, o início de campeonato também seguia o mesmo rumo, com sete pontos em três partidas. O pior veio a seguir, quando registaram quatro desaires em seis partidas, com um empate frente ao FC Porto pelo meio. Neste caso, os compromissos europeus vieram dificultar o trajeto de uma equipa disciplinada e bem organizada e o saldo na Europa ficou-se por três derrotas e outros tantos empates, entre os quais em Espanha frente ao Sevilha FC que viria a conquistar a prova. Não foi, de todo, uma má campanha para um clube que não estava habituado a estas andanças e que começava a despontar em Portugal.

Depois da saída da Liga Europa, o GD Estoril só perdeu mais quatro vezes, duas delas para o campeonato, e atingiu os quartos da Taça de Portugal. Numa época com 47 jogos oficiais, 22 triunfos e 11 desaires, salientam-se ainda as vitórias no Dragão e em Alvalade e a confirmação de que Marco Silva estava preparado para voos mais altos, após conduzir os canarinhos a um extraordinário quarto lugar, igualando a sua melhor classificação de sempre. Muitos se recordam de Yohan Tavares, Evandro, Gonçalo Santos, Mano, Balboa, entre outros, que entraram diretamente para a história dos estorilistas.