Anterior1 de 8Próximo

Uma verdadeira constelação de estrelas irá marcar presença no primeiro meeting da Diamond League edição 2018. Doha, a capital do Qatar, que em 2019 irá receber os Mundiais, recebe aqui o primeiro meeting de uma temporada em que vencer as finais da Diamond League (finais de Agosto em Zurique e Bruxelas) dará qualificação direta para os Mundiais do ano que vem. Para estar nessas finais é preciso obter a qualificação primeiro e os pontos começam a ser somados desde o primeiro meeting.

Para quem anda menos atento, convém explicar o novo formato da competição, que se estreou no ano passado com sucesso imediato. A Diamond League tem agora 12 meetings que servem de qualificação para as finais. Durante esses 12 meetings, os atletas recebem pontos por cada posição, com oito pontos a serem atribuídos ao primeiro classificado de cada meeting e um ponto ao oitavo. Muito simples, sem demasiados rodeios, no final dos 12 meetings são escolhidos os oito atletas que mais pontuaram nos diferentes meetings e estes marcarão presença na final.

Por indisponibilidade de um dos apurados, a vaga ficará com o atleta melhor classificado a seguir, portanto o nono com mais pontos e assim sucessivamente. As finais, essas decorrerão em dois dias consecutivos no final de Agosto (30 e 31), em Zurique e Bruxelas. Metade das disciplinas terá a sua final na Suíça e a outra metade na Bélgica. Claro que isto levanta problemas de agenda e indisponibilidade de atletas que compitam em mais do que um evento, mas isso é assunto para outro dia e que a IAAF deve rever rapidamente.

Falando em prémios monetários, o vencedor de cada meeting recebe 10.000 USD pela vitória, sendo que o valor decresce conforme a classificação final. Ainda a somar existem os valores pagos pela participação no evento que normalmente não são conhecidos e negociados individualmente. Já na final da Diamond League, o vencedor recebe o “troféu diamante” e 50.000 USD, o 2º classificado 20.000 USD e o terceiro 10.000 USD.

O Troféu Diamante
Fonte: Diamond League

Em ano antes de Mundiais existe ainda um atrativo extra e que para alguns é o verdadeiro troféu: a vitória nas finais garante qualificação direta nesse evento para os Mundiais do ano seguinte!

Anúncio Publicitário

Este ano não existindo um evento global ao ar livre (Mundiais/Olímpicos), a competição será o ponto alto para muitos dos atletas de elite e os elencos já anunciados deixam antever 14 meetings de luxo!

Anterior1 de 8Próximo

Comentários

Artigo anteriorDomínio japonês e primeira vitória coreana
Próximo artigoOs emails não revelados: GD Chaves exige indemnização de Hugo Miguel
O Pedro é um amante de desporto em geral, passando muito do seu tempo observando desportos tão variados, como futebol, ténis, basquetebol ou desportos de combate. É no entanto no Atletismo que tem a sua paixão maior, muito devido ao facto de ser um desporto bastante simples na aparência, mas bastante complexo na busca pela perfeição, sendo que um milésimo de segundo ou um centimetro faz toda a diferença no final. É administador da página Planeta do Atletismo, que tem como principal objectivo dar a conhecer mais do Atletismo Mundial a todos os seus fãs de língua portuguesa e, principalmente, cativar mais adeptos para a modalidade.                                                                                                                                                 O Pedro escreve ao abrigo do novo Acordo Ortográfico.