O exigente percurso e a corrida popular

Muito elogiado por todos os que já tiveram oportunidade de o visitar, tem sido o percurso escolhido e criado pela organização. Definido como “duro, mas exequível”, o percurso será marcado por várias subidas e descidas, com poucos momentos que permitam a manutenção do ritmo da prova e com vários obstáculos criados propositadamente para este dia. Terá direito a uma secção de areia, uma de água e uma de lama, a fazer lembrar os melhores tempos do Crosse. A juntar a tudo isso ainda haverá uma subida e uma descida pelo teto do Museu Moesgaard! Serão 10.025 metros (a distância percorrida nas corridas seniores) frenéticos, que irão potencializar várias surpresas.

A nível do público, será muito interessante também a criação de áreas específicas, incluindo uma zona onde será possível estar a beber cerveja numa roulotte/bar, enquanto se vê a prova ou uma outra em que os atletas passarão por uma recreação do povo viking, com adeptos e fãs caracterizados dessa forma! São esperados cerca de 5.000 fãs espalhados pelo recinto.

A tudo isso, junta-se o facto de alguns aficionados também terem direito a fazer o mesmo percurso numa corrida popular aberta a amadores – para quem conseguiu razoáveis mínimos de qualificação de 33 minutos para homens e 37 para mulheres em 10 km nos últimos 12 meses. Os atletas amadores selecionados terão a oportunidade de participar em todas as etapas lado a lado com os atletas de elite e isso inclui zonas de aquecimento e câmara de chamada junto com a elite, embora estes atletas não contem para a classificação geral individual ou por equipas. Existirão ainda outras corridas populares em distâncias inferiores, a maioria a realizar-se já depois do evento principal.

Anúncio Publicitário

No fim, fica a questão: será tudo isto o suficiente para reavivar o Crosse a nível mundial? A IAAF acredita que sim, os países africanos nunca deixaram de acreditar, os outros nem por isso e parecem esquecer, não só o Corta-Mato, mas tudo o que seja meia e longa distância.

No Sábado saberemos se Aarhus marcará mesmo uma nova era no Crosse. A partir das 9h45 da manhã de Sábado, com transmissão em direto para Portugal na RTP 2.

O percurso do Mundial de Crosse
Fonte: IAAF

Foto de Capa: IAAF

1
2
3
4
5
6
7
Artigo anteriorForça da Tática: Curtas dos Balcãs
Próximo artigoConor McGregor: Reforma ou estratégia?
O Pedro é um amante de desporto em geral, passando muito do seu tempo observando desportos tão variados, como futebol, ténis, basquetebol ou desportos de combate. É no entanto no Atletismo que tem a sua paixão maior, muito devido ao facto de ser um desporto bastante simples na aparência, mas bastante complexo na busca pela perfeição, sendo que um milésimo de segundo ou um centimetro faz toda a diferença no final. É administador da página Planeta do Atletismo, que tem como principal objectivo dar a conhecer mais do Atletismo Mundial a todos os seus fãs de língua portuguesa e, principalmente, cativar mais adeptos para a modalidade.                                                                                                                                                 O Pedro escreve ao abrigo do novo Acordo Ortográfico.