Cabeçalho modalidades

Está de regresso a Volta a Portugal em bicicleta! O momento alto para o calendário do ciclismo nacional, pese embora a maior qualidade existente na Volta ao Algarve. Novamente, entre o Tour e a Vuelta, e a terminar já com os Jogos Olímpicos a decorrerem, eis que surge a “Grandíssima”. Desde o dia 27 de Julho ao dia 7 de Agosto poderemos acompanhar pelas estradas portuguesas mais uma prova que se preverá equilibrada entre os favoritos.

Em termos de percurso, ao contrário da disputa entre os principais candidatos, podemos considerar que é algo desequilibrado, principalmente tendo em conta os últimos anos. A Senhora da Graça será, novamente, o ponto alto da corrida e a chegada à Torre foi “transformada” em dois pontos de passagem numa das etapas. Além disto, são cerca de 36 kms que iremos ter de contrarrelógio nesta edição, o que é demasiado para um conjunto com muitos trepadores. São igualmente de destaque as poucas etapas para uma devida chegada em pelotão compacto.

Provavelmente será mesmo no CR que irá ser decidida esta Volta, o que é uma pena, porque teríamos espaço para bastante mais espetáculo nas médias e altas montanhas. Ainda assim, espero estar enganado, porque realmente é importante que possamos ter espetáculo do início ao fim e não uma prova onde um ciclista vença por ser um excelente contrarrelogista, e que depois saiba defender-se na montanha. Acho que isso poderá retirar um pouco do que esta prova tem para nos dar.