Wrestlemania Backlash: De desforra em desforra, faz-se um bom espetáculo!

    NO DUELO ENTRE TITÃS, MVP FOI FATOR-CHAVE

    Este foi um esforço muito melhor e com um ritmo mais fluído do que o comabte insípido na WrestleMania, em grande parte devido à veterania de Bobby Lashley que permitiu controlar relativamente bem os diferentes momentos do combate.

    Ainda assim, claramente Omos ainda precisa de bastante tempo para desenvolver as suas capacidades enquanto lutador profissional. A sua técnica é deficiente e a rapidez de movimentos é quase inexistente, aspetos que infelizmente que não compensados pela sua enorme estatura física.

    As suas manobras, inclusive, não aparentam ter o impacto essencial para dar a ilusão de um poderio e atleticismo ao mais elevado patamar. Para piorar, foi a intervenção de MVP que permitiu a vitória de Omos, um aspeto comprometedor na apresentação de uma personagem que, supostamente, deveria transmitir uma sensação de domínio constante, sem fraquezas, e que não precisaria de ajudas exteriores para garantir as suas conquistas.

    Lashley fez de tudo para se certificar que este seria um combate no mínimo decente, mas nem o “Almighty” é capaz de fazer milagres assim tão grandes. Uma pena, especialmente tendo em conta que o antigo Campeão da WWE merece estar envolvido em rivalidades de maior prestígio e mediatismo.

    Classificação: 3.5/10

    - Advertisement -

    Subscreve!

    PUB

    spot_img

    Artigos Populares

    Diogo Valente Vieira
    Diogo Valente Vieirahttp://www.bolanarede.pt
    Estudante na Faculdade de Ciências Sociais e Humanas, da Universidade Nova de Lisboa. Procura realizar um percurso profissional dedicado sobretudo ao desporto nacional e internacional, através do jornalismo. O seu objetivo principal é tornar o jornalismo desportivo em Portugal o mais imparcial e prático possível, apresentando ao mesmo tempo uma personalidade com a qual a audiência possa identificar-se. Tem como interesses de destaque o futebol, o basquetebol e o wrestling.