3.

Fonte: SL Benfica

Renato Paiva – Janeiro de 2019. Rui Vitória não vence em Portimão num jogo em que o SL Benfica sofre dois golos, e abandona os encarnados no seguimento dessa partida. O então técnico da equipa B, Bruno Lage, assume de imediato o comando da equipa principal e estreia-se no jogo seguinte, frente ao Rio Ave FC.

Agora imaginem como o seguinte seria épico…

Junho de 2020. Bruno Lage não vence em Portimão num jogo em que o SL Benfica sofre dois golos, e abandona os encarnados no seguimento desse jogo. O então técnico da equipa B, Renato Paiva, assume de imediato o comando da equipa principal e estreia-se no jogo seguinte, frente ao Rio Ave FC.

Não, não queria Renato Paiva no comando técnico do SL Benfica só para efeitos de epopeia camoniana. Queria Renato Paiva ao leme da principal equipa por já ter demonstrado a sua qualidade. O albicastrense leva toda uma vida profissional ao serviço dos encarnados, grande parte dela passada a trabalhar com os juvenis (sub-17) do clube da Luz.

Anúncio Publicitário

Nas seis épocas como técnico dos sub-17 A encarnados, Paiva conquistou três Nacionais de juvenis. As suas equipas revelaram sempre qualidade técnica e tática, maturidade e mentalidade vencedora. Subjacente a tudo isso, está o trabalho notável do treinador de 50 anos, capaz de tornar grupos (diferentes de ano para ano) de jovens de 16/17 anos numa máquina bem oleada, elogiada em todos os torneios internacionais em que participava (em especial na Alkass International Cup 2018).

Ao serviço da equipa B, soma apenas 17 vitórias em 46 jogos. No entanto, creio que Renato Paiva já fez por merecer uma oportunidade. A médio/longo prazo, é difícil prever o que aconteceria, mas, a curto prazo, seria previsível que Paiva tivesse um impacto semelhante ao de Lage em janeiro de 2019, apostando mais em mais jovens e dando à equipa a tão discutida “ideia de jogo” de que está despojada.