Será demasiado cedo para começar a pensar na próxima época? Não. Estamos a chegar a março e o Sporting CP já está fora da luta em todas as competições. Resta mesmo só a disputa pelo terceiro lugar. O clube verde e branco vive uma época trágica, onde as más exibições, a instabilidade e a polémica são as palavras-chave que resumem tudo.
É necessário e urgente pensar já na próxima época, traçar um planeamento rigoroso e profundo, analisar pormenores para não cometer os mesmos erros do passado. Esta é uma tarefa da direção do Sporting.

Nós, que estamos deste lado, vamos tentar perceber quem merece ficar a representar o Sporting CP na próxima época. Nesta nossa seleção vamos considerar, e muito, a formação: o Sporting precisa de pôr a jogar os jogadores que dão constantemente provas nos sub-23 e emprestados, porque já deu para perceber que a “Plata” da casa é da melhor que há. Quem merece integrar a pré-época da próxima temporada?

QUEM FICA ENTRE OS POSTES?

Na baliza deve-se manter Luís Maximiano, uma aposta firme esta época. O jovem leão tem mostrado que merece estar onde está e a margem de progressão é enorme. Mostra-se confiante e apto para o cargo que ocupa. Como suplentes devem ficar Diogo Sousa e Hugo Cunha. Seria interessante ter só guarda-redes formados no clube. Manter uma disputa saudável entre todos, havendo sempre uma ligação à equipa dos sub-23. Com isto, Renan terá a porta de saída aberta. O seu forte são as grandes penalidades, mas, vendo as coisas como elas são, não acrescenta nada além disso.

Anúncio Publicitário

NOVA ÉPOCA, NOVA DEFESA?

A defesa tem de levar uma limpeza. O Sporting CP deve procurar vender Tiago Ilori, Stefan Ristovski, Valentin Rosier e Cristián Borja. Estes quatro jogadores já demonstraram que, por muita vontade que tenham, não têm lugar na equipa. Sebastian Coates mantêm-se como titular, havendo uma vaga na dupla de centrais, sabendo que Jérémy Mathieu já não vai para novo, estando em cima da mesa a possibilidade de se retirar, abrindo espaço para jovens como Eduardo Quaresma e João Silva, centrais dos sub-23. Ivanildo Fernandes regressa de empréstimo do Caykur Rizespor e deve integrar o leque de opções, já tendo demonstrado que pode ser uma mais valia. Luís Neto demonstra maturidade e experiência, acabando por ser uma boa alternativa nesta competição saudável por um lugar ao lado de coates.

Nas alas, com as saídas de Ristovski, Rosier e Borja, abrem-se muitos espaços. Marcos Acuña tem lugar cativo na ala esquerda, mas a saída do argentino é cada vez mais certa. São várias as notícias sobre a sua vontade em rumar para outras ligas, mas seria importante para o clube de Alvalade manter um jogador de tamanha qualidade. Juntando ao argentino, na ala esquerda, devem ser apostas Nuno Mendes e Echedey Carpintier, ambos da formação. No lado direito da defesa devem disputar a titularidade João Oliveira, Hevertton Santos, ambos dos sub-23, e também um possível reforço.

NO MEIO ESTÁ A VIRTUDE?

Na zona do meio campo é necessário manter as peças. Wendel, muito cobiçado, Rodrigo Battaglia e Francisco Geraldes devem continuar de verde e branco. Eduardo Henrique e Mattheus Oliveira devem sair a título definitivo e Idrissa Doumbia deverá ser emprestado. Com estas mudanças, ganha-se espaço para Rodrigo Fernandes, que já se estreou pela equipa principal, e Miguel Luís. Regressam de empréstimo João Palhinha, chave do meio campo do Sporting de Braga, e Daniel Bragança, em destaque pelo Estoril Praia, para elevar a qualidade de jogo. Tomás Silva, Bruno Paz e Matheus Nunes, jogadores dos sub-23, também devem ter oportunidade para mostrar serviço na pré-época.

Em relação aos extremos, Jesé Rodríguez e Yannick Bolasie terminam o período de empréstimo e devem voltar aos respetivos clubes. Ficam Rafael Camacho, Gonzalo Plata e Jovane Cabral. Juntam-se a eles Joelson Fernandes e Diogo Brás. Com estas alterações há espaço também para um reforço com provas dadas.

Gonzalo Plata é uma das tantas jovens promessas que merece ser aposta firme na equipa principal
Fonte: Carlos Silva / Bola na Rede

QUEM FICA PARA ENCOSTAR?

Na frente de ataque mantêm-se Andraž Šporar, Pedro Mendes e Luciano Vietto, sendo que este último joga mais como médio ofensivo e segundo avançado. Gelson Dala e Leonardo Ruiz regressam de empréstimo, ambos vistos com bons olhos, o primeiro a mostrar consistência no Rio Ave, e o segundo com 14 golos em 23 jogos pelo Varzim, estando atualmente na luta de melhor marcador da segunda liga portuguesa. A jovem promessa Elves Baldé, atualmente emprestado ao Feirense, também deverá integrar o leque de opções, pelo menos na pré-época. Dos sub-23, Tiago Rodrigues, Paulo Agostinho e Tiago Tomás devem disputar uma vaga no plantel. A recuperar de lesão, Luiz Phellype deverá abandonar o clube de Alvalade.

SÍNTESE DO PLANTEL PARA A PRÉ-ÉPOCA DE 2020/2021

Guarda-redes: Luís Maximiano, Diogo Sousa e Hugo Cunha.
Defesas centrais: Sebastián Coates, Luís Neto, Eduardo Quaresma, João Silva e Ivanildo Fernandes.
Defesas Esquerdos: Marcos Acuña, Nuno Mendes e Echedey Carpintier.
Defesas Direitos: João Oliveira, Hevertton Santos e reforço.
Médios: Wendel, Rodrigo Battaglia, Rodrigo Fernandes, Miguel Luís, João Palhinha, Francisco Geraldes, Daniel Bragança, Tomás Silva, Bruno Paz e Matheus Nunes.
Extremos: Rafael Camacho, Gonzalo Plata, Jovane Cabral, Joelson Fernandes, Diogo Brás e reforço.
Avançados: Andraž Šporar, Pedro Mendes, Luciano Vietto, Gelson Dala, Leonardo Ruiz, Elves Baldé, Tiago Rodrigues, Paulo Agostinho e Tiago Tomás.

Este seria um plantel com base na formação e a contar com quem já está na equipa. Permitiria uma aposta na formação, havendo sempre uma grande ligação com os sub-23 e deixava espaço para alguns reforços. Sem poderio financeiro, a tentar limpar o passado, seria um Sporting CP a fazer o que devia ter feito já há muito tempo… começar do zero.

Foto de Capa: Carlos Silva/Bola na Rede

Comentários