O Mundial de Crosse que se realizou neste final de semana foi tudo aquilo que prometeu, com drama, emoção e surpresas.

A primeira prova disputada foi a prova das estafetas mistas, onde o Quénia parecia ser o favorito, pelo menos por incluir vários nomes conhecidos na sua equipa, tal como referimos no nosso artigo de antevisão. Anteriormente faláramos também da forte equipa marroquina e de uma formação Etiópia sem nomes sonantes. A verdade é  que os etíopes mais uma vez mostraram que quando trazem atletas do género, existe uma razão para tal e é sempre de desconfiar! Venceram em toda a linha, sempre estiveram na frente e até se viu os quenianos favoritos serem ultrapassados no último percurso pelo Marrocos (fantástica a prova de Arafi no percurso final).

A equipa vencedora da Etiópia foi composta por Kebede Endale, Bone Cheluke, Teddese Lemi e Fantu Worku e foi logo desde essa prova inicial que se ficou com a sensação que o duro percurso – cheio de subidas e descidas bastante acentuadas – favorecia os etíopes, que chegaram com uma larga margem em relação às outras equipas, em 25:49. O Quénia de Manangoi e Kipruto acabaria por ficar com o Bronze.

Comentários