3.000 METROS OBSTÁCULOS: Ezekiel Kemboi (KEN)

Esta é uma distância muita dividida ao meio, sendo que dois atletas poderiam ser justos distinguidos e logo eles que até tiveram uma animada (para ser simpático) rivalidade. Ezekiel Kemboi (KEN) venceu o título olímpico do Rio (2012), Conseslus Kipruto venceu em Londres (2016). Kemboi venceu os títulos mundiais de Daegu (2011), Moscovo (2013) e Pequim (2015), Kipruto venceu em Londres (2017) e Doha (2019).

É verdade que Kemboi nunca teve como prioridade a Diamond League e Kipruto venceu por 4 vezes o troféu (com vários momentos inesquecíveis) e isso equilibra bastante a balança (assim como as duas Pratas de Kipruto em 2013 e 2015, perdendo para…Kemboi), mas o domínio de Kemboi durante seis anos (2010-2015) foi avassalador. O queniano coreu inclusive em 7:55, subindo a 6.º mais rápido da história (como comparação, Kipruto ainda está por baixar dos oito minutos!). Kemboi foi, no topo da sua carreira, um dos melhores alguma vez vistos.

MARATONA: Eliud Kipchoge (KEN)

Anúncio Publicitário

Aqui poucas dúvidas podem existir: Eliud Kipchoge (KEN) é o melhor maratonista da história! O queniano detém o atual recorde mundial da Maratona, impensáveis 2:01:39, em Berlim, em 2018. Venceu um título olímpico neste período (no Rio), mas o que mais impressiona é mesmo a sua impressionante regularidade e domínio, com oito vitórias em nove majors disputadas, sendo que só não venceu na estreia, em Berlim (2013), quando foi Prata!

Inspirou gerações com o recente desafio INEOS 1:59 e com o anterior Breaking2 e é um senhor, seja na estrada ou a discursar pelo mundo fora, ensinando-nos a todos nós que os sonhos são sempre possíveis de alcançar. Correu três das dez Maratonas mais rápidas de sempre e promete que não fica por aqui. Sem Kipchoge, Wilson Kipsang (KEN) seria um natural elemento a ser eleito, mas com Kipchoge não há espaço para mais ninguém.

20 KM MARCHA: Wang Zhen (CHI)

Os japoneses podem dominar os tempos mais recentes e Suzuki (JPN) pode ser o atual recordista mundial, mas ninguém tirou mais desta década do que Wang Zhen (CHI). O chinês não só venceu os Jogos Olímpicos do Rio (2016) depois do Bronze de Londres 2012, como também conquistou a Prata em duas diferentes ocasiões: nos Mundiais de Daegu 2011 e de Pequim em 2015. Venceu ainda a World Race Walking Cup (2012 e 2016) e o seu palmarés não encontra paralelo neste período.

50 KM MARCHA: Jared Tallent (AUS)

O coração pode querer dizer Yohann Diniz (FRA), que é o atual recordista mundial e que foi campeão mundial em Londres 2017, mas racionalmente o australiano tem que ser considerado o atleta dos últimos dez anos. Venceu o Ouro nos Jogos de Londres (2012) e depois foi ao Rio (2016) conquistar a Prata, fechando a sua carreira com quatro medalhas olímpicas. Nos Mundiais conquistou três medalhas, sendo que todas foram neste período, três Pratas, nos Mundiais de Daegu (2011), Moscovo (2013) e Pequim (2015).

Pelo caminho dois Ouros na World Race Walking Cup (2012 e 2016) e duas outras medalhas de Bronze (2010 e 2014). Jared tem a curiosidade de não ter ganho o seu grande Ouro (Londres 2012) em pista, mas na minha opinião não devemos desvalorizar performances que provaram ser as melhores dentro da legalidade e, tendo em conta o seu conjunto de medalhas, é ele que merece esta distinção.