Anterior1 de 6Próximo

Análise do dia 3
Num dia absolutamente fantástico, houve medalha e recordes portugueses, caíram 4 recordes dos campeonatos, houve emoção e marcas de qualidade a rodos e polémica também!

Triplo Salto Feminino

Fonte: IAAF

Yulimar Rojas (VEN), a campeã mundial indoor e outdoor, começou o concurso a marcar posição saltando logo 14.24 metros, melhorando no terceiro salto para 14.27. Mas a jamaicana Kimberly Williams começou com 14.37 e melhorou logo de seguida para os 14.41, a terceira melhor marca a nível mundial do ano e no terceiro salto aumentou para 14.48 metros, a sua melhor marca pessoal de sempre e recorde jamaicano. No quarto salto, Ana Peleteiro fazia um enorme salto para um grande recorde pessoal de 14 metros e 40 centímetros, assumindo a posição de Prata. No entanto, ao 5º salto Yulimar Rojas (VEN) assumia o comando em 14.63m, melhor marca mundial do ano. Havia mais um salto apenas para as atletas. Ninguém melhorou, Yulimar Rojas (VEN) revalidou o título, Prata com recorde jamaicano para Kimberly Williams e Ana Peleteiro conquistou a primeira medalha da história espanhola no Triplo Salto.

Lançamento do Peso Masculino

Fonte: IAAF

Havia um grande interesse português nesta prova, dada a presença de Tsanko Arnaudov (POR), que era mesmo o 7º do ranking mundial. No primeiro lançamento, o português fez um nulo, no segundo lançou 19.93 metros e no terceiro voltou a fazer nulo, longe do seu recorde pessoal, ficando pela 12ª posição do geral.

Anúncio Publicitário

Quanto aos lugares cimeiros, o primeiro recorde de Birmingham: recorde dos campeonatos para Tomas Walsh (NZL) ao lançar 22.31 metros! Tom Walsh, tal como Rojas no Triplo, venceu antes os Indoor em Portland e depois os outdoor em Londres, não dando também qualquer hipótese à concorrência. Sem necessitar, por já ter o ouro assegurado, Walsh lançou para a glória, com os 22.31 a serem a melhor marca de sempre dos campeonatos. David Storl (GER) lançou o melhor da época em 21.44 para a Prata e Stanek (CZE) que era o lider mundial, ficou-se pelo Bronze com 21.44. Destaque ainda para o recorde brasileiro de Darlan Romani (BRA) no quarto lugar, bem próximo das medalhas, ao lançar 21.37. 10 homens passaram dos 20 metros e 7 dos 21 metros, sendo o melhor concurso de sempre em termos de densidade de resultados.

Salto Com Vara Feminino

Fonte: IAAF

Tínhamos previsto a vitória de Sandi Morris (USA) e desta vez…ela foi mesmo quem levou o Ouro! Não sem direito a drama, a mudanças na frente da competição e uma duríssima adversária russa, Anzhelika Sidorova, que dominou o concurso desde muito cedo e ficou-se pelos 5.90 metros na Prata. O Ouro de Morris foi conseguido em 5.95 metros, novo recorde dos campeonatos! No Bronze, finalmente derrotada, Katerina Stefanidi (GRE) que saltou apenas 4.80 metros hoje. Primeira medalha de Ouro global para Sandi Morris, depois de tantas ameaças.

Anterior1 de 6Próximo

Comentários

Artigo anteriorChuva, lama, muita emoção e surpresas, eis a Strade Bianche
Próximo artigoOs 8 melhores ‘box-to-box’ do Benfica dos últimos dez anos
O Pedro é um amante de desporto em geral, passando muito do seu tempo observando desportos tão variados, como futebol, ténis, basquetebol ou desportos de combate. É no entanto no Atletismo que tem a sua paixão maior, muito devido ao facto de ser um desporto bastante simples na aparência, mas bastante complexo na busca pela perfeição, sendo que um milésimo de segundo ou um centimetro faz toda a diferença no final. É administador da página Planeta do Atletismo, que tem como principal objectivo dar a conhecer mais do Atletismo Mundial a todos os seus fãs de língua portuguesa e, principalmente, cativar mais adeptos para a modalidade.                                                                                                                                                 O Pedro escreve ao abrigo do novo Acordo Ortográfico.