Nathon Allen não quer ser a sombra de Bloomfield

É o terceiro jamaicano mais rápido de sempre e é a seguir a Bloomfield a maior aposta jamaicana na distância, embora haja um tal de Christopher Taylor quase, quase a explodir. É o único da lista que nunca baixou dos 44 segundos, mas as expetativas é que o faça durante 2019. A confiança do atleta é tanta que revelou que a sua profissionalização imediata tem em vista o pódio já nos Mundiais de Doha, com um tempo na casa dos 43 segundos.

Nathon Allen e Steven Gardiner, duas das maiores promessas dos 400 metros
Fonte: IAAF

Embora pareça no último ano ter sido ultrapassado pelo furacão Bloomfield, Allen era até então a maior esperança jamaicana, tendo inclusive vencido uma medalha de Prata na Estafeta 4×400 nos Jogos do Rio e tendo já sido 5º classificado na final individual dos 400 metros dos Mundiais de Londres. O facto da Jamaica viver uma época impar na distância da volta a pista poderá ser especialmente importante para o aumento do nível de competitividade interna e consequente melhoria de marcas individuais. Não seria de admirar que chegássemos aos Jogos de Tóquio com 3 jamaicanos abaixo dos 44 segundos. Não iremos por aqui falar de Christopher Taylor para 2019, mas será o terceiro nome a ter bem debaixo de olho.

1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
Artigo anteriorVida de estrada
Próximo artigoJefferson: Qualidade para o Sporting?
O Pedro é um amante de desporto em geral, passando muito do seu tempo observando desportos tão variados, como futebol, ténis, basquetebol ou desportos de combate. É no entanto no Atletismo que tem a sua paixão maior, muito devido ao facto de ser um desporto bastante simples na aparência, mas bastante complexo na busca pela perfeição, sendo que um milésimo de segundo ou um centimetro faz toda a diferença no final. É administador da página Planeta do Atletismo, que tem como principal objectivo dar a conhecer mais do Atletismo Mundial a todos os seus fãs de língua portuguesa e, principalmente, cativar mais adeptos para a modalidade.                                                                                                                                                 O Pedro escreve ao abrigo do novo Acordo Ortográfico.