9.º – Silvino Louro

Fonte: SL Benfica
Fonte: SL Benfica

Manuel Bento estava perto de arrumar as luvas – e o Benfica precisava de um sucessor. Silvino, depois de consistentes épocas no V. Setúbal e V. Guimarães foi contratado em 1984. Após um ano de empréstimo ao Desp. Aves (1985/86), Silvino integrou o plantel do Benfica, onde, de imediato, agarrou a titularidade, muito graças à garra que lhe era característica.

Durante oito épocas (entre 1986 e 1994) realizou 258 jogos pelo Benfica, conquistando quatro campeonatos, duas Taças de Portugal e uma Supertaça. Silvino teve a felicidade de partilhar o balneário com grandes nomes da história do clube, revelando, em todos os momentos, estar à altura dos acontecimentos – disputou duas finais da Taça dos Campeões Europeus, em 1988 (derrota com PSV, nos penáltis) e em 1990 (derrota, 1-0, com o Milan), ficando muito perto da glória.

A ascensão de Neno – guarda-redes com percurso muito idêntico ao seu –, já no início da década de 1990, retirou-lhe espaço na equipa. A sua popularidade junto dos benfiquistas saiu claramente beliscada pela sua saída e ingresso no rival FC Porto (onde ainda conquistou mais dois campeonatos, uma Taça de Portugal e uma Supertaça).