7.º – Robert Enke

Fonte: SL Benfica
Fonte: SL Benfica

O alemão Robert Enke chegou ao Benfica em 1999, com apenas 21 anos (terminou contrato com o Borussia Moenchegladbach), e a tarefa impossível de fazer esquecer Michel Preud´Homme – Não o conseguiu, de facto; no entanto, assumiu-se, desde logo, como um substituto à altura, conquistando os adeptos do Benfica, à época, desejosos de craques capazes de contornar os piores momentos da vida desportiva do clube.

Robert Enke não conquistou qualquer título de águia ao peito – é a triste excepção desta lista –, porém, três temporadas consecutivas ao mais alto nível (entre 1999 e 2002) convenceram o Barcelona a avançar para a sua contratação. Nos blaugrana começou a titular, mas na Catalunha, já se sabe, as listas de grandes guarda-redes terminam em Zubizarreta e, tal como os seus antecessores (e sucessores), Robert Enke perdeu espaço. Foi emprestado a Fenerbahçe e Tenerife e partiu, regressando à sua Alemanha natal, para representar o Hannover 96, durante cinco anos e meio, conquistando, por fim, a titularidade da selecção nacional do seu país. Robert Enke só foi feliz em Lisboa e na Alemanha, onde faleceu, em 2009, com apenas 32 anos.

1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
Artigo anteriorO Sporting foi Rei Leão em casa!
Próximo artigoQuem tem as chaves de “El Clásico”?
O João já nasceu apaixonado por desporto. Depois, veio a escrita – onde encontra o seu lugar feliz. Embora apaixonado por futebol, a natureza tosca dos seus pés cedo o convenceu a jogar ao teclado. Ex-jogador de andebol, é jornalista desde 2002 (de jornal e rádio) e adora (tentar) contar uma boa história envolvendo os verdadeiros protagonistas. Adora viajar, literatura e cinema. E anseia pelo regresso da Académica à 1.ª divisão..                                                                                                                                                 O João não escreve ao abrigo do novo Acordo Ortográfico.