Anúncio Publicitário

Cabeçalho Futebol InternacionalO sonho concretizou-se! Chora-se de alegria, das bancadas ao relvado, por tudo o que o apito final naquele jogo significa – o nome do clube imortalizado num conto de fadas em que um “pequenino” bateu o pé aos “gigantes” num percurso notável, de contínua superação, terminado de forma gloriosa aos três apitos do árbitro do encontro. Os adeptos, por presenciar história, e a equipa, pelo facto de a terem feito, vão morrer sem esquecer aquele dia.

Este é um momento transversal aos campeões que se apresentam nesta lista. Todos eles fizeram os adeptos viver um dia que julgavam distante ou mesmo impossível de acontecer. Deixaram marca na história e fizeram cair queixos um pouco por todo o mundo ao superar os poderes estabelecidos nos respectivos campeonatos.

Passado tão pouco tempo de um momento tão marcante na história do futebol e da Premier League em particular (sim, está incluído nesta lista), e tendo em conta a recente ascensão competitiva do Red Bul… Perdão, RasenBall Leipzig na Bundesliga – disputa a liderança com o favoritíssimo Bayern  depois de ter passado 2015/2016 no segundo escalão -, a liderança do Nice (a par do Mónaco) na Ligue 1 e a aproximação do Sevilha ao primeiro lugar da Liga Espanhola, parece-nos pertinente olhar para trás e ver quais os campeões que chocaram o mundo com as suas conquistas.

Anúncio Publicitário

Pela impossibilidade de incluir num top10 todos esses campeões, teve de se restringir a lista a alguns critérios. O primeiro passa pelo tempo – apenas a última década estará em análise –, e o segundo passa pelo impacto competitivo do campeonato – não analisámos os campeonatos da Bulgária, da Suécia ou semelhantes, não por termos menos respeito por eles, mas pelo facto de estes não terem dado a conhecer grandes conquistas a nível continental, isto é, olhámos apenas para aqueles que deram a conhecer mais campeões ou finalistas europeus ao longo da história (Espanha, Itália, Alemanha, Inglaterra, Portugal, Holanda e França).

Colocadas as restrições (que podem desaparecer, num artigo posterior, de forma a completar esta análise, caso este tenha bom feedback), ficaram os dez finalistas. Não foram difíceis de escolher, dada a raridade do feito; o complicado foi mesmo colocá-los por ordem, com excepção do “útlimo” classificado, aquele que causou menos surpresa entre os dez que analisamos – O Borussia de Dortmund de 2010/11. O Signal Iduna Park é o ponto de partida da nossa viagem ao passado recente de campeões-surpresa…

Anúncio Publicitário