NATAÇÃO

A Figura do Ano – Masculino

Fonte: CAS

Sun Yang – Dentro e fora das piscinas, não há como escapar ao nadador chinês. É protagonista de um caso problemático com as autoridades anti-doping em que, depois de ter recebido apenas uma repreensão por parte da FINA, aguarda agora uma decisão do CAS após recurso da WADA.

No entanto, isso em nada afetou o seu rendimento desportivo e nos Mundiais de 2019, realizados na Coreia do Sul, levou para casa mais duas medalhas de ouro (200 e 400 metros livres) para chegar às onze na carreira.

A Figura do Ano – Feminino

Fonte: USA Swimming

Simone Manuel – A americana tornou-se a primeira mulher a chegar às sete medalhas num só Mundial. Foram quatro ouros (50 e 100 metros livres, 4×100 metros medley e 4×100 metros livres mistos) e três pratas (4×100 metros livres, 4×200 metros livres e 4×100 metros medley mistos).

Anúncio Publicitário

Assim, chega também às 16 medalhas no total, ficando entre as cinco com mais medalhas na história. Terminou 2019 a ser eleita Atleta Feminina do Ano nos Golden Goggles da Fundação Americana de Natação, quebrando o ciclo de seis vitórias consecutivas de Katie Ledecky.

O Momento do Ano

As imagens do protesto de Mack Horton em Gwangju correram o mundo – Podemos discutir da razão que o australiano teve ou não para o fazer, mas deu o exemplo, que até foi seguido por Duncan Scott no dia seguinte. No entanto, o positivo de Shayna Jack acabou por tirar alguma credibilidade às posições australianas e a demorada e débil reação de Horton demonstrou bem que a conjugação dos dois eventos havia causado algum mal-estar.

Apesar de tudo, é sempre importante quando atletas desta dimensão não se inibem de tomar posição quanto ao que pensam estar mal no seu desporto e, por isso, Mack Horton merece o reconhecimento.

José Baptista